Razões pelas quais sofremos e como mudar para iluminação

Todo mundo sofre. Faz parte da condição humana. No entanto, o sofrimento pode ser a porta para sua evolução pessoal, para crescimento e expansão, se você optar por mudar seus pensamentos e percepções.

Podemos parar nosso próprio sofrimento, entendendo a raiz do que nos faz sofrer e, em seguida, agindo e mudando nosso diálogo interno ou fazendo de maneira diferente. A seguir algumas razões comuns pelas quais sofremos. Quando você souber qual é a causa, descobrirá que pode transformar o sofrimento em consciência e encontrar paz e felicidade.

1*Resistência a mudanças.

Você quer que tudo permaneça o mesmo. Você não aceita que tudo seja temporário. A vida se move em ciclos gerando nova vida e nada vai parar esse movimento universal. Aceitar que tudo o que existe é apenas temporário permite que você libere seu apego às coisas, às pessoas e até à sua definição de si mesmo. É assim que você continua aprendendo e evoluindo.

2*Apegando-se à sua identidade.

Quando você escolhe uma identidade, seja lá o que for quando você diz “eu sou assim…”, você cria imediatamente uma limitação e uma expectativa de quem você é. Esse é um processo mental e não uma realidade. Você é mais do que um título ou uma palavra. Você pode se chamar nomes que diminuem você (fraco, preguiçoso, insuficiente, etc.) ou pode encontrar seu valor próprio na identidade que escolher (CEO, competente, mãe, etc.) e qualquer coisa que desafie seu senso de valor se tornarão uma ameaça ou um insulto ou um enigma. Você sofre porque alguém pode sugerir que você não é quem ou o que você acreditava ser.

3*Querendo que a realidade seja algo que não é.

Sempre que você quiser ou até exigir que sua realidade seja diferente do que é, você sofrerá por causa do desejo de que fosse diferente. Você resiste ao que está à sua frente e sofre. Somente aceitando, você pode tomar medidas que podem mudar sua situação. Seu desejo de que seja diferente só é útil se você considerar isso como aspiração e tomar medidas para aproximar do seu estado de aspiração.

4*Ouvir forças externas em vez de ouvir sua própria verdade.

“Quem conhece os outros é sábio. Quem se conhece é iluminado.” Quando você baseia seu senso de si no que os outros dizem sobre você, você nunca perceberá seu verdadeiro potencial. Você comprará a história deles de quem você deveria ser e como deveria viver. Sua energia entra em uma vida não autêntica que causa estresse e possivelmente doenças. Somente alinhando sua vida ao que é verdadeiro para você, você pode ser feliz.

5*Viver uma vida dividida.

O que é uma vida dividida? Uma vida em que nossas palavras e ações ocultam ou até contradizem as verdades que aspiramos interiormente. Se a maneira como você conduz sua vida for incongruente com o que realmente importa para você e no que acredita, você sofrerá. Essa vida dividida acabará te moldando e você olhará no espelho e não reconhecerá mais a si mesmo.

6*Viver de fora para dentro.

Sócrates disse que ” a vida não examinada não vale a pena ser vivida”. Se você não usa seu tempo refletindo, observando a sua conversa mais profunda com o seu Eu, nunca encontrará seu verdadeiro propósito ou reconhecerá o ser maravilhoso que és. Você passará a maior parte da sua vida se comparando aos outros e sempre se criticando por não ser suficiente.

7*Substituindo o medo sobre o amor.

Você tem duas opções sobre como liderar sua vida. Você pode escolher medo ou amor. O medo produz pensamentos que causam uma contração em nossos corações, mentes e corpos. Você se restringe e se protege da própria vida. Não há como alcançar satisfação e potencial quando você vive com medo. Você está constantemente se escondendo. Somente quando você escolhe viver no amor é que pode gerar otimismo, coragem e compaixão. Quando você vive do amor, tudo se torna possível.

8*Querer segurança e certeza em um mundo incerto e ambíguo.

A vida é dinâmica, em constante mudança e imprevisível. Você deve aprender a dançar com o que vier em sua direção, não somente com o que você está acostumado. Você sofrerá quando buscar a ilusão de total segurança sempre, porque o que você está procurando lá fora só pode ser encontrado lá dentro. Confiar em si mesmo e no que você representa, naquele momento, é a única maneira de se fundamentar na falta de fundamento.

9*Viver no passado ou no futuro.

Estar em qualquer lugar, exceto o presente, impede você de aproveitar sua vida no agora. Você pode desfrutar mais de suas lembranças se não estiver apegado a ter as mesmas condições agora ou de como era antes. Você pode aspirar ao futuro se o aceitar como uma possibilidade. Prestando atenção à sua vida no agora, você pode notar a beleza que existe e sentir a gratidão por sua vida.

10*Interpretando a vítima.

Cada vez que você interpreta a vítima ou culpa alguém ou as circunstâncias que viveu, abdica de seu poder de viver sua melhor vida. Você se sente como não tendo poder ou diligência sobre sua vida. Você constrói ressentimento, medo e raiva que sugam sua energia e limitam seu potencial. Quando você se capacita, usa sua sabedoria interior para escolher o que lhe serve na criação de uma vida em harmonia e fluxo.

11*Buscando conforto sobre o crescimento.

As pessoas não gostam de ficar desconfortáveis. Quando você escolhe conforto e não crescimento, você se torna prisioneiro do seu conforto. Você deveria ser livre. A liberdade vem de ser tudo o que você pode ser e corajoso o suficiente para viver plenamente. Esses obstáculos desafiadores se tornarão a porta para oportunidades quando você os envolver, apesar do seu desconforto.

12*Não escolher coisas boas para si mesmo.

Quando você escolhe coisas que comprometem sua saúde, bem-estar e crescimento espiritual, você nega exatamente as coisas de que precisa para ser feliz e saudável. Você sabe o que precisa quando ouve sua voz interior e intuição dizendo como escolher. Quantas vezes você dispensa essa voz e escolhe um prazer ou conforto momentâneo que compromete o verdadeiro alimento de que sua alma precisa? Da próxima vez, ouça e transforme o ato de cuidar de si mesmo em algo sagrado e significativo que também pode ajudá-lo a cuidar dos outros.

13*Negar o autoconhecimento.

Quanto mais conhecer a si mesmo, melhores serão as decisões que irá tomar, tanto em relação à carreira quanto à vida pessoal, o que certamente inclui deixar de sofrer e escolher agir para construir a realidade que deseja viver. Quando uma pessoa sofre antes do necessário, acaba sofrendo mais do que o necessário. Por isso, se conheça, aceite suas dores, lide com elas e, então, irá evitar que se transformem em sofrimento e mágoas, que apenas lhe farão mal e lhe impedirão de superar o que aconteceu.

14*Negar partes de si mesmo.

Todos nós temos uma sombra ou escuridão dentro de nós. Sempre há coisas que não gostamos em nós mesmos. Sempre há traumas que precisam ser curados. Quando você foge da sua sombra, essas partes de você nunca podem ser reconciliadas, perdoadas e curadas. Eles sempre irão assombrá-lo, esperando surgir quando você menos espera através da auto sabotagem, crueldade com os outros, raiva e relacionamentos tóxicos. Deixar a mercê, ficar arrumando desculpas ou culpando os outros sobre as emoções difíceis que sente é também se autodestruir ao invés de aceitar e ser compassivo consigo mesmo, harmonizar e amar a si mesmo como você é. Fugir daquelas partes que você nega fará com que você sofra. Aceitação e perdão gera apreço, amor próprio e compaixão por si e pelos outros.

Carl Jung afirmou que “a totalidade dos seres humanos depende da capacidade de possuir sua própria sombra” porque reconheceu que somente encontrando a compreensão de nosso lado sombrio poderíamos acabar com nossa insegurança subjacente sobre nossa bondade e valor fundamentais como seres humanos que nos fazem inteiros.

Nosso sofrimento provém da negação de nossa natureza divina, de nossa falta de apreciação de nossa conexão com todas as coisas, de nossa resistência à impermanência ou mudanças e de nossos vícios e apegos a coisas que apenas trazem alívio temporário.

A totalidade vem da aceitação de todas as partes de nós mesmos como indivíduos e seres humanos, para que possamos transcender a mesquinhez de nossa condição humana e elevar nossa consciência a níveis que podem realmente mudar nosso mundo para melhor. O sofrimento sempre estará presente, mas se oferecermos nosso sofrimento a algo digno de nossa dor e sofrimento transformará não apenas a nós mesmos, mas, eventualmente, nosso mundo.

Deixe uma resposta