Múltiplas Inteligências

Adaptado de Howard Gardner (Teoria das Múltiplas Inteligências)

A teoria das inteligências múltiplas foi estudada pelo psicólogo Howard Gardner como um contrapeso para o paradigma da inteligência única. Ele propôs que a vida humana requer o desenvolvimento de vários tipos de inteligências.

Inteligência Subceptiva

A Inteligência Subceptiva adentra a mais nobre de todas as áreas que está relacionada à Inteligência Espiritual, que é exatamente o entendimento que o indivíduo tem de que não há somente o racional guiando sua vida, mas também uma parte que diz respeito à sua intuição, à sua subjetividade. Trata-se também da confirmação de sua missão de vida. É a capacidade que temos de transcender o lógico, racional e cognitivo. É estar galgando o nível da inteligência da competência da mente inconsciente. É realmente acreditar que somos mais do que podemos mensurar de nós mesmos. É a maestria de ter a resposta sem saber que sabia a resposta, simplesmente fazendo novas conexões neurais, intuições, insights no mesmo segundo, é o tipo de inteligência que transcende o conhecimento.

O indivíduo com um elevado quociente espiritual desenvolvido, tem o poder de decidir se deseja ou não fazer parte de algumas situações em sua vida, principalmente aquelas se mostram mais difíceis. Em questões éticas, que envolvem os valores e as crenças, a pessoa consegue resolver da melhor maneira possível, utilizando sua intuição, as conexões universais e espirituais que o guiam. O indivíduo que tem inteligência subceptiva elevada é mais autoconfiante e passa a ter a certeza estável que sabe o que sabe e “subcebe” o que ainda pensava que não sabia e sabe!

Quando falamos em Inteligência Espiritual, estamos falando das suas ligações com Deus, com o “Ponto de Deus” que há em seu cérebro, que não envolve religião necessa- riamente. Há pessoas que tem a religiosidade bastante evoluída, porém não conseguem lidar com determinadas situações. Já indivíduos que tem um grande entendimento sobre Deus, sejam eles estudiosos ou não, conseguem obter respostas mais facilmente diante das dificuldades, sendo induzidos a procurá-las dentro de si.

Quando falamos em Inteligência Subceptiva que está atrelada e ligada diretamente com a Inteligência Espiritual, estamos falando na maestria e competência da mente inconsciente, de uma força maior e da habilidade que passamos a ter de estarmos conectados à uma inteligência cósmica, energética e multidimensional. É viver o máximo da capacidade consciente e inconsciente, tangível e intangível, é o livre-arbítrio para superar as sombras e reconhecê-las num nível curador. Nesse nível, utilizamos todos os principais arquétipos e passamos a processar consciente e inconscientemente o MESTRE, GUERREIRO, VISIONÁRIO e o GRANDE CURADOR que habita dentro de nós.

As características de uma pessoa com elevado quociente espiritual e subceptivo são as seguintes:

  • Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo;
  • São levadas por valores. São idealistas. Vivem por um propósito de vida. Têm VISÃO SISTÊMICA.
  • Têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade. Utilizam o poder da RESSIGNIFICAÇÂO.
  • São holísticas. Fazem parte do todo, do tudo e das partes. Sabem que suas ações reverberam direta e indiretamente no Universo.
  • Celebram a diversidade. Têm o prazer de transformar os obstáculos em aprendizados.
  • Têm independência. São mais proativos e fazem a energia vibrar.
  • Perguntam sempre “por quê?” Mais do que isso, descobrem que as PERGUNTAS são AS RESPOSTAS e que existe uma magia na arte de saber perguntar.
  • Têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo. Conseguem viver no quadrante da Lei Universal da Causa e Efeito e acreditam no DAR E RECEBER.
  • Têm espontaneidade que é verdadeira, emocional, pura e ao mesmo tempo realizadora, focada e motivadora.
  • Têm compaixão. Reconhecem as três necessidades básicas do Ser Humano de ser ouvido na essência, ser notado, amado e reconhecido e finalmente a de que todos tem o direito de errar, aprender e transcender. Vive com amor e perdão.

 

Inteligência Subceptiva tem relação com a capacidade de nos transformarmos cotidianamente e de mover a essência de nossa vida para uma consciência superior. Utilizar esse tipo de inteligência é utilizar o coração e a alma elevados à uma consciência universal que nos faz, consciente e inconscientemente, nos mover em direção à uma transformação desejada em sintonia com algo maior!

Quais são as habilidades desse tipo de inteligência? Indica um tipo de inteligência que não é percebido pelos sentidos comuns, mas sim o que é subcebido, isto é,” captado” abaixo destes. O substantivo do verbo subceber é subcepção. A palavra percepção, no campo da aquisição de conhecimentos, liga-se à cognição, que é a operação do intelecto pela qual captamos dados e informações e os estruturamos. A cognição é comumente considerada como a mais importante das funções cognitivas, mas nós consideramos a subcepção ainda mais importante que ela.

 

Inteligência linguística

Os componentes centrais da inteligência linguística são uma sensibilidade para os sons, ritmos e significados das palavras, além de uma especial percepção das diferentes funções da linguagem. É a habilidade para usar a linguagem para convencer, agradar, estimular ou transmitir ideias. Gardner indica que é a habilidade exibida na sua maior intensidade pelos poetas. Em crianças, essa habilidade se manifesta através da capacidade para contar histórias originais ou para relatar, com precisão, experiências vividas.

Habilidades encontradas nesse tipo de inteligência:

  • entendimento da ordem e do significado das palavras;
  • capacidade de convencer alguém sobre um fato;
  • capacidade de explicar, de ensinar e de aprender;
  • senso de humor;
  • memória e lembrança;
  • análise metalinguística.

 

Inteligência lógico-matemática

Os componentes centrais dessa inteligência são descritos por Gardner como uma sensibilidade para padrões, ordem e sistematização. É a habilidade para explorar relações, categorias e padrões, através da manipulação de objetos ou símbolos, e para experimentar de forma controlada; é a habilidade para lidar com séries de raciocínios, para reconhecer problemas e resolvê-los. É a inteligência característica de matemáticos e cientistas. Gardner, porém, explica que, embora o talento científico e o talento matemático possam estar presentes num mesmo indivíduo, os motivos que movem as ações dos cientistas e dos matemáticos não são os mesmos. Enquanto os matemáticos desejam criar um mundo abstrato consistente, os cientistas pretendem explicar a natureza. A criança com especial aptidão nesta inteligência demonstra facilidade para contar e fazer cálculos matemáticos e para criar notações práticas de seu raciocínio.

Habilidades desse tipo de inteligência:

  • reconhecimento de padrões abstratos;
  • raciocínio indutivo e dedutivo;
  • discernimento de relações e conexões;
  • solução de cálculos complexos.

 

Inteligência espacial

Gardner descreve a inteligência espacial como a capacidade para perceber o mundo visual e espacial de forma precisa. É a habilidade para manipular formas ou objetos mentalmente e, a partir das percepções iniciais, criar tensão, equilíbrio e composição, numa representação visual ou espacial. É a inteligência dos artistas plásticos, dos engenheiros e dos arquitetos. Em crianças pequenas, o potencial especial nessa inteligência é percebido através da habilidade para quebra-cabeças e outros jogos espaciais e a atenção a detalhes visuais.

Habilidades encontradas:

  • percepção acurada de diferentes ângulos;
  • reconhecimento de relações de objetos no espaço;
  • representação gráfica;
  • manipulação de imagens;
  • descoberta de caminhos no espaço;
  • formação de imagens mentais;
  • imaginação ativa.

 

Inteligência cinestésica

Essa inteligência se refere à habilidade para resolver problemas ou criar produtos através do uso de parte ou de todo o corpo. É a habilidade para usar a coordenação grossa ou fina em esportes, artes cênicas ou plásticas no controle dos movimentos do corpo e na manipulação de objetos com destreza. A criança especialmente dotada na inteligência cinestésica se move com graça e expressão a partir de estímulos musicais ou verbais, demonstra uma grande habilidade atlética ou uma coordenação fina apurada.

Habilidades da Inteligência corporal:

  • funções corporais desenvolvidas;
  • habilidades miméticas;
  • conexão do corpo com a mente;
  • alerta por meio do corpo (sentidos);
  • controle dos movimentos pré-programados;
  • controle dos movimentos voluntários.

 

Inteligência musical

Essa inteligência se manifesta através de uma habilidade para apreciar, compor ou reproduzir uma peça musical. Inclui discriminação de sons, habilidade para perceber temas musicais, sensibilidade para ritmos, texturas e timbre, e habilidade para produzir e/ou reproduzir música. A criança pequena com habilidade musical especial, percebe desde cedo diferentes sons no seu ambiente e, frequentemente, canta para si mesma.

Habilidades características dessa inteligência:

  • reconhecimento da estrutura musical;
  • esquemas para ouvir música;
  • sensibilidade para sons;
  • criação de melodias e de ritmos;
  • percepção das qualidades dos tons;
  • habilidade para tocar instrumentos.

 

Inteligência interpessoal

Essa inteligência pode ser descrita como uma habilidade pare entender e responder adequadamente a humores, temperamentos, motivações e desejos de outras pessoas. Ela é melhor apreciada na observação de psicoterapeutas, professores, políticos e vendedores bem-sucedidos. Na sua forma mais primitiva, a inteligência interpessoal se manifesta em crianças pequenas como a habilidade para distinguir pessoas, e na sua forma mais avançada, como a habilidade para perceber intenções e desejos de outras pessoas e para reagir apropriadamente a partir dessa percepção. Crianças especialmente dotadas demonstram muito cedo uma habilidade para liderar outras crianças, uma vez que são extremamente sensíveis às necessidades e sentimentos de outros.

Habilidades características dessa inteligência:

  • criação e manutenção da sinergia;
  • superação e entendimento da perspectiva do outro;
  • trabalho cooperativo;
  • percepção e distinção dos diferentes estados “emocionais” dos outros;
  • comunicação verbal e não-verbal.

 

Inteligência intrapessoal

Essa inteligência é o correlativo interno da inteligência interpessoal, isto é, a habilidade para ter acesso aos próprios sentimentos, sonhos e ideias, para discriminá-los e lançar mão deles na solução de problemas pessoais. É o reconhecimento de habilidades, necessidades, desejos e inteligências próprios, a capacidade para formular uma imagem precisa de si próprio e a habilidade para usar essa imagem para funcionar de forma efetiva. Como essa inteligência é a mais pessoal de todas, só é observável através dos sistemas simbólicos das outras inteligências, ou seja, através de manifestações linguísticas, musicais ou cinestésicas.

Habilidades características dessa inteligência:

  • concentração total da mente;
  • preocupação;
  • meta-cognição;
  • percepção e expressão de diferentes sentimentos íntimos;
  • senso de autoconhecimento;
  • capacidade de abstração e de raciocínio.

 

Inteligência naturalista

Habilidade para reconhecer a flora e a fauna, para fazer distinções no mundo natural e ter sensibilidade em relação a ele. É a atração pelo mundo natural. Constitui a capacidade de identificação da linguagem natural e a capacidade de êxtase diante da paisagem humanizada ou não. Naturalistas, botânicos, geógrafos e paisagistas têm esse tipo de inteligência.

  • Habilidades características dessa inteligência:
  • capacidade de discernir, identificar e classificar plantas e animais;
  • capacidade de distinguir diferentes espécies de plantas e suas características;
  • capacidade de demonstrar a utilidade botânica e curativa das plantas;
  • poder de observação.