Identificando os Valores

O alinhamento da vida começa com a definição pessoal de quais são os seus valores, a sua ética, o seu propósito de vida, enfim, a sua missão. O exercício que se segue  permite identificar os seus valores e crenças pessoais, e avaliar se eles estão alinhados com os seus objetivos e sonhos. Para obter o benefício a partir deste exercício, não avance até ao final. Leia o primeiro passo e execute-o antes de continuar a ler o próximo passo.

Principais Atitudes em Relações aos Valores

(O texto abaixo é baseado na ferramenta de valores de Geronimo Theml)

Antes de Analisar é necessário validar com o adiviced se o valor que está anotando tem o mesmo significado abaixo.

Dos 5 que você marcou, o que você entende por…?

  • Desafios: pessoas movidas a novos desafios, se permanecerem muito tempo no mesmo lugar sem se sentirem desafiadas, ficarão desconfortáveis. Tendem a não ter o valor da segurança muito alto.
  • Rotina: gostam que as coisas aconteçam numa sequência previamente estabelecida e, de preferência, repetidamente. Não costumam gerenciar muito bem imprevisibilidades e desafios.
  • Aceitação Social: pessoas com o valor da aceitação social precisam que o grupo em que esteja aceitem ela. Não suportam não ter atenção do grupo a que façam parte. Muitos adolescentes com o valor elevado da aceitação social acabam tendo uma tendência maior a ter atitudes que não teriam normalmente, como fumar ou beber, para conseguir ser aceitos pelo grupo, o mesmo pode acontecer com adultos, que acabam aceitando certas atitudes ou condutas do grupo para poder ser aceito.
  • Sucesso: pessoas com o valor do sucesso muito alto, não suportam ser só mais um. Não se trata tanto de reconhecimento, mas de ser bem sucedido no que faz, independente de ter ou não reconhecimento.
  • Contribuição: precisam ajudar ao próximo de alguma maneira. Pessoas com este valor se sentem extremamente incomodadas quando não estão contribuindo com algo. Não necessariamente precisa ser uma contribuição altruísta, às vezes exercer uma profissão remunerada mas que ajuda ao cliente a evoluir em alguma medida, como é o caso de alguns médicos, psicólogos, advisor e outros.
  • Reponsabilidade: o valor da responsabilidade pode aflorar com vários critérios, como pontualidade, cumprimento do que é esperado dele. É um valor muito positivo, mas quem tem este valor precisa estar alerta para não abandonar a vida social e familiar pelo trabalho.
  • Previsibilidade: precisa saber o que acontecerá no seu dia. Tolera pouco os desafios e as mudanças inesperadas do dia a dia. Uma pessoa com cargo de gestão na iniciativa privada com este valor tende a sofrer muito, em razão da dificuldade de se prever os acontecimentos cotidianos. Pessoas com o valor da previsibilidade tendem a se dar muito bem no serviço público, que acaba tendendo ao rotineiro.
  • Estabilidade: muito parecido com segurança, mas se diferencia pois o valor da segurança permite que a pessoas aceite desafios e mudanças, desde que se organize para respeitar sua segurança, como no caso de fazer uma boa reserva financeira para mudar de emprego. Já quem tem o valor da estabilidade dificilmente se sentirá motivado a fazer uma mudança radical de vida, mesmo que tenha uma fortuna guardada.
  • Crescimento Contínuo: se recusa a permanecer onde está em termos de conhecimento, aprendizado e função profissional. Precisa evoluir permanentemente nos diversos papéis que exerce na sociedade.
  • Mudança/Variedade: oposto da previsibilidade e rotina. Mesmo que esteja bem profissionalmente, tende a querer mudanças de vida de tempo em tempo. Não há mal nenhum nisto, mas a pessoa precisa aprender a lidar com esse valor, pois se ele for mal gerenciado pode impedir a evolução profissional. É a ideia de que pedra que gira muito não cria limo.
  • Poder: precisa mandar. Gosta de ter pessoas que o obedecem pelo cargo ou função exercida. É um valor perigoso para uma função de líder, pois podem cair da tentação de abandonar as técnicas de liderança para chefiar pela força e poder.
  • Respeito: pessoas com esse valor estão sempre atentos ao direito do outro. O problema é que tendem a se incomodar além do limite com quem fura fila num pedágio, ouve um som alto de carro e outras formas de não cuidado com o próximo.
  • Reconhecimento: precisa ser reconhecido nos diversos papéis da vida. Para pessoas assim, muitas vezes, um elogio em público vale mais do que um bônus por uma meta cumprida. Já vi muitas pessoas receberem um belo bônus por meta batida e se sentir mal por ninguém ter vindo parabenizá-la.
  • Segurança: tem muita dificuldade de lidar com qualquer situação que possa por em risco a situação de vida já conquistada, tanto no emprego, como no status social e patrimonial.
  • Comprometimento com o Próximo: se falar para alguém que fará algo, fica extremamente incomodado se não fizer. Muitas pessoas com este valor são extremamente pontuais para não deixar o próximo esperando. Muitas vezes faz muito mais pelo próximo do que por si mesmo.
  • Comprometimento consigo mesmo: pessoas com este valor são realizadoras, pois se disserem que vão fazer … fazem!
  • Status: se importa com a forma que é vista pela sociedade. Não é reconhecimento e sem sucesso, é status mesmo. Já vi pessoas morarem em apartamentos simples para ter uma BMW na garagem.
  • Fama: não é status. É ser referência no que faz. Ser reconhecido na rua ou no seu meio por algo que realiza profissionalmente.
  • Liberdade: precisa de certas concessões familiares e profissionais. Não suporta bem o rigor de horário comercial de 8 às 17, se sentem sufocado se não tiver uma mínima liberdade. Odeiam ser regulados por seus parceiros de vida. Um homem com esse valor não tolera ser questionado por que demorou tanto no futebol de terça.
  • Honestidade: são intolerantes a quase toda forma de jeitinhos. São incapazes de fazer algo que não seja totalmente lícito.
  • Excelência: procuram fazer tudo com perfeição. O perigo deste valor e impedir que a pessoa progrida numa velocidade adequada, pois sempre acredita que algo poderia ser melhor e acaba paralisando. Pessoas com este valor precisam aprender e praticar o “feito é melhor que perfeito”.
  • Individualidade: precisam de um tempo para si. Para muitos basta 10 minutos por dia de um tempo para si.
  • Competitividade: transforma tudo numa competição. “Vamos ver quem faz mais rápido” ou “vamos ver quem faz mais” são frases comuns. Costumam realizar muita coisa, mas têm o grande risco de fazer inimizades pelo caminho.
  • Compaixão: pode ser nos dois sentidos. Precisa que os outros se ressintam das suas dores e se ressente muito das dores dos outros. Muitas vezes a compaixão é só um sub valor da contribuição.
  • Reputação: o que importa é como os outros o vêem. Muitas vezes não importa nem mesmo se ele é aquilo mesmo, mas se é visto assim, já fica satisfeito. É um valor perigoso, pois pode transformar uma pessoas em duas, aquilo que se vê por fora e o que ela é realmente por dentro.
  • Ordem/Organização: não é rotina e nem previsibilidade, o valor da organização faz com que as pessoas que tenham esse valor precisem ter tudo sobre controle. Se começam a não saber exatamente como andam as coisas, tendem a se sentir inseguras e irritadas, como se perdessem o controle da situação. Costumam ter lugar para tudo em casa e no trabalho e sabem exatamente onde está a conta de luz de 3 anos atrás.

Não é necessário se preocupar em criar novos hábitos e novas atitudes. Elas são criadas naturalmente e sem confrontar com os valores no decorrer das sessões seguintes.