Como Superar um Complexo de Inferioridade

Ás vezes, todo mundo sente-se desvalorizado ou com algum tipo de complexo de inferioridade, especialmente após uma decepção significativa ou um conflito interpessoal particularmente difícil. Isso é desagradável, mas é inegavelmente normal acontecer.

No entanto, talvez você esteja lendo isso e achando que isso é muito corriqueiro em sua vida, isto é, você nunca se sente bem com você mesmo. Se você acredita constantemente que você não tem valor nenhum, duvida das suas habilidades e fixa-se na ideia de que as outras pessoas são melhores do que você, então você pode ter um complexo de inferioridade. Mas o que isso significa e como um problema como este se desenvolve?

Discutiremos a definição desse problema, exploraremos vários sintomas do complexo de inferioridade e, em seguida, avançaremos para abordar algumas das estratégias mais poderosas para construir uma perspectiva melhor e mais confiável de si mesmo.

Pessoas com um complexo de inferioridade se sente realmente horrível e pode prejudicar muito o seu sucesso na vida, mas é possível ultrapassar e criar uma autoestima saudável e sólida que apóie boas relações, carreiras satisfatórias e felicidades diárias e mais constantes.

Mas então, o que é um Complexo de Inferioridade?

Em poucas palavras, ter um complexo de inferioridade significa que você se fixa em suas fraquezas (percebidas, circunstanciais ou não) e compara-se constantemente com os outros em uma ótica desfavorável para sí mesmo. Embora seja verdade que todos nós temos falhas, se você tem um complexo de inferioridade, então essas falhas serão tudo o que você vê e se atenta em perceber em todas as circunstância.

Em todos os estudos sobre psicologia, o complexo de inferioridade sugere que essa perspectiva, esse ângulo de visão sobre você mesma, leva se a sentimentos de infelicidade generalizada.

As causas dos problemas de complexos de inferioridade são variadas, mas algumas das mais frequentes ocorrem no início da vida. Por exemplo, talvez seus pais lhe tenham dado a mensagem de que você não era bom o suficiente, ou talvez uma experiência de críticas severas na escola acabasse se hospedando em sua psique. Muitas vezes, isso se manifesta em uma variedade de comportamentos adultos (detalhados mais abaixo).

O oposto do complexo de inferioridade é complexo de superioridade, o que convence você de que você é melhor do que todos os outros. Uma perspectiva saudável ocupa um meio termo, e veremos como cultivar um meio termo na seção final deste artigo.

Sinais de um Complexo de Inferioridade

Não existe um teste oficial de complexo de inferioridade, mas há uma série de sintomas extremamente comuns que a maioria dos sofredores experimenta ou tem. Em particular, veja o seguinte:

 

  • Sentindo-se inútil e desmotivado. Isso geralmente acontece quando você se compara com as avaliações positivas de outros. Em vez de ver as pessoas como falíveis, você vai aprimorar suas melhores qualidades e perceber como você fica inferior nessa comparação.
  • Sensibilidade à crítica. Mesmo a crítica construtiva irá fazer você se sentir atacado e levará a sentimentos de aversão a si mesma ou vergonha.
  • Imaginar um julgamento negativo. Sua suposição padrão será que outras pessoas não gostarão de você ou pensam que você é não tem valor ou que de toda a forma você estará fazendo errado. E não importa o que outros o digam, o contrário.
  • Sentimentos negativos em relação às mídias sociais. Você experimentará sentimentos de ciúmes e melancolia quando você perceber e sentir as experiências felizes de outras pessoas. Isso também pode acontecer em relação a suas amizades ou parentes.
  • Submissão. Você raramente vai se defender seu ponto de vista (ou a sua visão), e tem dificuldade em afirmar suas necessidades.
  • Se algo não for perfeito, você acha que é um fracasso.

5 maneiras de se livrar do complexo de inferioridade.

O tratamento do complexo de inferioridade pode ser feito em sessões, em parte através da exploração das origens das suas crenças negativas e da busca de formas de reescrevê-las. Ressignificar e reinventar-se.

Dito isto, a boa notícia é que você não precisa gastar uma fortuna em terapias para iniciar suas mudanças. Sempre há muitas coisas efetivas que você pode fazer em casa, dentro de si. Se você está se perguntando “Como faço para me sentir melhor?”. Experimente as seguintes cinco estratégias. Observe o impacto que eles têm em você no início e tente manter essas novas atitudes para ver quais mudanças promovem ao longo de semanas e meses para que se tornem hábitos. E assim você criará novas crenças e novos valores.

No entanto, há casos em atenção, você pode estar lutando com outra questão convivente, como depressão ou ansiedade. Se você suspeita que este possa ser esse o caso, vale a pena falar com o seu médico ao mesmo tempo em que você tente implementar essas estratégias para criar mudanças positivas.

1. Observe de quem você se sente inferior

Em vez de parar na percepção de que você tem um complexo de inferioridade, descubra de quem você se sente inferior em primeiro lugar. Seja o mais específico possível para diminuir isso e considerar não apenas as pessoas que conhece, mas também as celebridades e até mesmo os conceitos imaginários (por exemplo, “a esposa perfeita” ou “o renomado homem de negócio”).

Se você achar difícil descobrir quem você está se comparando, considere a seguinte lista de tipos de pessoas que mais freqüentemente inspiram o complexo de inferioridade:

 

  • Pessoas fisicamente bastante atraentes
  • Pessoas ricas com estilos de vida pródigos
  • Pessoas inteligentes em vários graus
  • Aqueles que têm carreiras impressionantes e dinâmicas
  • Pessoas engraçadas que têm grandes grupos sociais e extremamente sociáveis, extrovertidos, etc…

 

 

Uma vez que você tenha um melhor senso dos tipos de pessoas que fazem você se sentir inferior, tente escolher pessoas específicas em sua vida que exemplificem esses traços.

 

Em seguida, para cada um desses indivíduos, encontre pelo menos uma coisa que você tem. E depois procure características positivas que você tem e eles não. Sempre haverá algo em ambos os casos!

 

2. Pare de se preocupar com o que outros pensam

 

Desligar dos julgamentos percebidos dos outros é uma das coisas mais importantes que você pode fazer para destruir um complexo de inferioridade. Afinal, a maior parte desses complexos vem de obsessão pelo que outras pessoas pensam de você. Às vezes, isso se relaciona com coisas que as pessoas realmente disseram para você, e outra vez será tudo sobre o que você imagina que eles pensam ou pensaram.

 

No final do dia, apenas sua opinião sobre si mesmo importa. Além disso, pesquisas mostram que, quando nos sentimos bem em relação a nós mesmos, outros percebem e sentem melhores ainda em relação a nós próprios como resposta.

 

Então, como você para de se preocupar com os pontos de vista de outras pessoas?

 

Em primeiro lugar, concentre-se no que o faz feliz. O que traz paixão, alegria e realização em sua vida? Quando você está gastando tempo com isso, você gastará muito menos energia em se preocupar com o que outras pessoas pensam.

 

Em segundo lugar, tente lembrar que outros geralmente estão muito preocupados com suas próprias aparências em vez de se dedicar muito pensamento a avaliar negativamente você. Semelhante ao “tenha mais medo do que pensas do que você é realmente”. No que diz respeito às fobias, muitas vezes as pessoas estão tão preocupadas ou inseguras quanto você.

3. Construa sua Auto Confiança

 

Quando você aprender a se sentir melhor em relação a si mesmo, essa segurança aumentada começará a fazer você se sentir digno (e não inferior).

 

Existem muitas partes no processo de construção da auto-estima, mas analisaremos alguns dos principais fatores:

 

  • Trate-se melhor. Quando você faz isso, você cimenta as crenças subconscientes de que você é valioso e vale a pena se cuidar. Você está se exercitando regularmente, comendo bem e descansando o suficiente? Caso contrário, trabalhe para construir esses aspectos do autocuidado em sua vida.
  • Como mencionado acima, você também se sentirá melhor em relação a si mesmo se você estiver vivendo uma vida autêntica, fazendo o que realmente ama. Pergunte-se o que está impedindo você de fazer isso e faça um plano para vencer esses obstáculos.
  • Tenha certeza fazendo perguntas relacionadas a si mesmo. Projete uma sensação mais profunda de auto-estima, fale sobre isso, perceba como os outros tem uma empatia diferente. Crie outros meio de fazer feedback em cima disso ou com a mesma idéia.
  • Faça uma lista de dez coisas que você gosta sobre você, e coloque-a onde você vai ver todos os dias.

 

4. Self-Talk ou Auto-fala.

 

O termo “auto-fala” (crítico interno) refere-se a como você fala consigo mesmo em sua própria mente. As palavras que você usa, o tom que você imagina e as origens do seu crítico interior. Essa voz interna tem um enorme impacto sobre como você se vê e suas ações e suas atitudes. Quando é negativo, alimenta um complexo de inferioridade e uma sensação de auto-aversão. E quando é positivo, encoraja você a se ver como digno e o ajuda a sustentar a felicidade no longo prazo.

 

O que você precisa fazer é localizar a auto-fala negativa, eliminá-la e substituí-la por conversas auto-afirmativas.

 

Existem maneiras diferentes de abordá-lo, mas esse exercício baseado em afirmação é muito mais fácil de fazer em casa. Tente anotar algumas das coisas cruéis e prejudiciais que sua voz interna diz, depois escreva alternativas positivas. Recite essas afirmações positivas diariamente (seria ideal em frente a um espelho).

 

5. Interaja com pessoas positivas

 

Finalmente, é vital reconhecer que o seu complexo de inferioridade pode estar ligado às pessoas que você conviva. Execute um inventário de seu círculo social, pense nas suas interações com os membros da família e considere também como você se dá bem com os colegas.

 

Se você identificar pessoas que tentam ativamente derrubá-lo ou quem não responde aos seus comportamentos atenciosos ou que o desencadeiam em um drama desnecessário, comece a pensar como você pode distanciar-se desses indivíduos. Considere remover completamente pessoas tóxicas que não tem boas intenções com você de sua vida para cercar-se de positividade.

 

Para desenvolver uma melhor autoestima e um senso mais positivo de sua identidade, encontre pessoas que o criem e apoiem. Nutre as amizades nas quais a escuta recíprocamente. E que a bondade e a responsabilidade estão presentes. E se você sente que a sua vida atualmente não possui esses tipos de pessoas positivas, hoje é o dia para sair e começar a tentar encontrá-los!

 

Considere se inscrever para novas aulas, cursos, palestras, grupos, etc. Há pessoas lá fora que estão apenas esperando para ajudá-lo a encontrar a melhor versão de você mesmo.

Deixe uma resposta