Como lidar com Sentimentos de Perda e Luto

Sentimentos de perda e pesar podem ser experimentados depois que perdemos alguém ou algo de que gostamos. A morte de um ente querido, perda de um relacionamento, perda de um animal de estimação, perda de emprego, uma mudança no seu modo de vida ou perda de bens importantes. O sofrimento que você experimenta nesses casos não é uma doença, é uma resposta normal a um evento de vida que todos enfrentamos em algum momento. Leva tempo para se ajustar e aprender a viver nossa vida sem essa pessoa, algo muito importante ou um modo de vida. Quando essa perda acontece, pode levar tempo para se ajustar e aprender a viver a vida. Não existe um caminho certo ou errado para se lamentar e pode levar muito tempo e apoio para a cura, além de que cada indivíduo tem a sua forma de lidar com ela.

Lidar com o fim de algo do qual não tínhamos a intenção de nos despedir pode ser desafiador, mas existem formas de transformar a dor em aprendizado e entender melhor os sentimentos e as emoções geradas por eles e encontrar um caminho para seguir em frente.

 

COMO ELE NOS AFETA?

 

A intensidade de nossa dor, o quanto tempo dura e nossas reações a ela, diferem de pessoa para pessoa. Algumas reações comuns incluem:

  • Sentimento de tristeza profunda,
  • Choro frequente,
  • Choque, negação, dormência,
  • Estresse, ansiedade, confusão mental, exaustão,
  • Raiva, culpa, vergonha, culpa por sentir alívio pela pessoa ou fato,
  • Solidão, isolamento,
  • Sentimento ou comportamento de maneira fora do comum,
  • Problemas de saúde física como dores de cabeça, mudanças nos padrões alimentares ou de sono,
  • Dificuldade de concentração, tornar se calado,
  • Não desfrutar de atividades e hobbies habituais,
  • Tensão ou problemas com relacionamentos pessoais,
  • Aumento de álcool, fumo ou uso de drogas,
  • Sentimento de desesperança ou como se você não pudesse continuar adiante.

Tratamentos para o Luto

 

A tristeza do luto é uma emoção muito forte. É doloroso e exaustivo. Portanto, às vezes parece mais fácil evitar confrontar esses sentimentos. No entanto, esta abordagem não é uma solução viável e realista ao longo prazo. Pode se manifestar mais tarde como doença física ou emocional. É muito importante trabalhar através de sua tristeza e expressar seus sentimentos, isso ajudará a se curar.

O processo da separação da pessoa que morreu à adaptação a um mundo sem ele e a formação de novos relacionamentos requer cada qual um tempo. Para se adaptar e entender que se separou da pessoa que morreu, deve se encontrar outra maneira de redirecionar a energia emocional que foi dada à pessoa amada. Isso não significa que o falecido não tenha sido amado ou deva ser esquecido, mas que é necessário se voltar para os outros em busca de uma satisfação emocional. Os papéis da vida, identidade pessoal e suas habilidades podem precisar ser mudados para se reajustar a viver em um mundo sem a pessoa que morreu.

Não se negligencie enquanto está de luto. Tente comer refeições regulares e saudáveis. Se a preparação e a ingestão da refeição forem difíceis, tente comer várias refeições menores ao longo do dia.

O luto é extremamente cansativo, tanto física como emocionalmente. A dor que se está sentindo não é apenas pela pessoa que morreu, mas também pelos desejos e planos não realizados com a pessoa. A morte muitas vezes lembra as pessoas de perdas ou separações passadas.

Muito pode ser feito para melhorar os sintomas graves por meio de tratamento formal ou participação em grupos de apoio. Se você acha que você ou alguém que você conhece está tendo dificuldades em lidar com uma perda, é importante procurar ajuda profissional e fazer a terapia de luto ou em grupos de autoajuda, onde pessoas em luto se apoiam mutuamente. E permitem a pessoa em luto ver que a raiva, a culpa ou outros sentimentos negativos ou desconfortáveis ​​podem coexistir com sentimentos mais positivos sobre a pessoa que morreu.

Depois de uma perda, a maioria vive o luto. Enquanto esse período durar, é importante:

  • Aceitar que a perda aconteceu,
  • Conviver com e sentir a dor física e emocional da dor
  • Ajustar-se gradativamente à vida sem a pessoa amada,
  • Separar-se emocionalmente da pessoa amada e continuar sem ela.

É importante que essas tarefas sejam concluídas antes que o luto termine. Caso contrário a sensação de luto continua.

Após essa fase acima, desenvolva a capacidade de experimentar, expressar e ajustar-se às dolorosas mudanças e encontre maneiras eficazes de lidar. Continue estabelecendo um relacionamento contínuo com a pessoa através de lembranças, conversas, rezas, o lado positivo da pessoa, espiritualidade, da forma que você saiba que nunca será esquecido e que foi e é muito importante em sua vida.

Mantenha se saudável e continue suas atividades. Não deixe de restabelecer os relacionamentos e entenda que os outros podem ter dificuldade em se identificar com o sofrimento que está sendo experimentado. É importante desenvolver uma imagem saudável de tudo.

Complicações no luto podem ocorrer devido a luto não resolvido de perdas anteriores. A tristeza por essas perdas anteriores deve ser gerenciada como uma nova chance para lidar com o luto atual. A terapia do luto inclui lidar com bloqueios, identificar qualquer atitude, crenças e comportamentos inacabados e identificar outras perdas resultantes da morte.

COISAS QUE PODEM NOS AJUDAR A CURAR AS PERDAS

 

  • Permita se a chorar e a desabafar – expresse seus sentimentos a um membro da família, amigo ou profissional de saúde confiável, em vez de guardar. Desabafar é uma parte muito importante do processo de superação da perda. Muitas vezes, a cura para as dores do ser humano é realizada através da fala, pois, ao externar o que se sente, é possível encontrar o entendimento.
  • Cuide-se – comendo saudavelmente, exercitando-se e dormindo. Liberte-se da dor, faça coisas que você goste, mesmo que não tenha vontade de fazê-las. Tente voltar à sua rotina normal. Evite álcool e drogas , pois entorpecem sentimentos e dificultam a cicatrização.
  • Não se cobre em demasia – não pressione a si mesmo ou aos outros para “seguir em frente” ou a “superar”. Evite tomar grandes decisões até conseguir pensar com mais clareza.
  • Cada pessoa tem uma maneira diferente de lembrar a pessoa ou coisa que foi perdida. Para algumas pessoas, ter pertences que lembram o falecido pode ajudar. Para outros, colocar essas coisas de lado até que estejam melhor equipadas emocionalmente para enfrentá-las é mais fácil.
  • Deixe as pessoas ajudarem – Deixe claro e explique à família e aos amigos como você se sente e o que gostaria que eles fizessem para ajudar. Muitas vezes, outros querem ajudar, mas não sabem o que você precisa ou deseja.
  • Deixe-se curar – Não se sinta culpado por fazer passar a sua dor e tentar voltar à sua vida.
  • Creia e acredite que você pode superar – Você pode sobreviver a uma grande perda, mesmo que inicialmente não consiga. Dê um passo de cada vez. Pode ser a coisa mais difícil que você já enfrentou, mas pode se curar.
  • Permita-se ter momentos agradáveis – Mesmo que esteja vivendo a perda, isso não significa que se deve evitar ter momentos agradáveis. Encarar os sentimentos é diferente de se martirizar com o sofrimento e alimentar a dor. Por isso, busque atividades que te deem prazer e façam com que se sinta melhor. Pode ser uma caminhada ou a prática de outro esporte que goste, um passeio com amigos, uma atividade manual, qualquer coisa que ocupe a sua mente de forma positiva.
  • Entenda Que a Vida Continua – O ser humano costuma se apegar a tudo aquilo que ama, seja uma pessoa ou algo relacionado à vida profissional, e isso é perfeitamente natural. Contudo, esse apego traz dores quando o fim se aproxima, mas é importante assimilar esse acontecimento como algo triste, mas que não é o fim. Por mais que pareça que não terá forças para suportar, você terá. As pessoas só reconhecem a força têm quando precisam usá-la, mas a verdade é que todos a possuem.
  • Esteja preparado para eventos estressantes ou tristes – eventos e situações que lembram sua perda podem ser particularmente difíceis de lidar. Prepare-se para esses eventos e suas reações a eles.

Os momentos de dor oferecem uma boa oportunidade para refletir a respeito dos acontecimentos e da forma como se reage a eles. Aproveite para olhar para si, para os seus valores e a visão que tem a respeito da vida, reveja as suas prioridades. As vivências que a perda pode proporcionar são capazes de promover mudanças significativas em relação à forma como se enxerga o mundo e as coisas que se valoriza.

Por mais que seja importante reavaliar acontecimentos e atitudes do passado como uma forma de buscar aprendizado, a vida deve estar sempre voltada para o presente. Então, use suas experiências para tomar atitudes mais positivas e evitar cometer os mesmos erros, mas olhe sempre para frente, para o que está por vir. Lembre-se sempre que acontecimentos do passado não podem mais ser alterados, mas podemos dar um novo significado. Então é importante concentrar as suas forças naquilo que pode mudar e que é o seu momento atual e futuro.

A perda traz com ela a necessidade de se adaptar a viver sem aquilo que foi perdido. Nessa fase é importante se abrir para novas descobertas, se permitir encontrar possibilidades diferentes de ser feliz. Um comportamento que demonstra quando a pessoa está pronta para seguir em frente é quando abraça a mudança, mesmo que nos detalhes, seja através de uma alteração no estilo de se vestir ou no cabelo, na busca por um novo hobby ou fazendo uma viagem, por exemplo.

Superar a dor da perda e todos os sentimentos que ela traz é um grande desafio, mas é possível vencê-lo sim. Para isso, ao invés de manter o foco no que foi perdido, procure enxergar o que ficou e o que ainda pode ser. Lembre-se que a vida nos oferece inúmeras possibilidades para sermos felizes, então aproveite!

 

COMO AJUDAR ALGUÉM QUE ESTÁ SOFRENDO

 

  • Deixe saber que você se importa – reconheça que a perda deles é importante.
  • Deixe saber como você se sente – mesmo que você não saiba o que dizer ou fazer, mas que você está junto e preocupado com os sentimentos.
  • Ouça – simplesmente esteja disponível para ouvir a história deles para conversar, isso pode ajudar muito.
  • Pergunte-lhes como você pode ajudar – não digam o que eles precisam, mas ofereça ajuda.
  • Deixe saber que está tudo bem em compartilhar sua dor e estimule a não se sentirem sozinhos.
  • Mantenha contato – esteja disponível, mantenha incluídos nas atividades e dê a eles a opção de entrar em contato com você.
  • Seja compreensivo – aceite que eles podem agir ou dizer as coisas de maneira diferente por causa da dor.
  • Fique atento aos sinais de que eles não estão conseguindo lidar – isso inclui sinais de pensamentos suicidas, depressão, tristeza profunda ou desistência da vida.
  • Continue a pedir ajuda a eles como antes, desde informações, conselhos, recursos ou uma ajuda no trabalho.
  • Cuide-se também – ajudar uma pessoa em tais condições pode ser um fardo pesado. Cuide de sua própria saúde física e emocional e fale sobre seus sentimentos com alguém durante esse período estressante.

Se a perda ou o luto está se tornando muito grande para você ou para alguém que você conhece, procure ajuda conversando com um psicólogo ou um conselheiro.

Deixe uma resposta