Causas Comuns da Desmotivação no Local de Trabalho

Nesse artigo, a desmotivação também pode ser entendido como apatia.

Você pode dizer que realmente ama seu trabalho? Segundo uma pesquisa que na revista Forbes, isso não é muito provável. Entre outras coisas,  estudos recentes revelam que 48% dos funcionários em todo o mundo nem sequer gostam de seus empregos, mais de 80% dos trabalhadores se sentem estressados no escritório e apenas 30% se sentem realmente envolvidos e inspirados em suas carreiras. Outro dado importante e preocupante é dos líderes e empresários, 18% estão ativamente desativados ou anulados, isto é, presentes no trabalho, mas odiando cada minuto.

Os fatos são sérios e dispendiosos. Além de verificar esses dados alarmantes, essa falta de satisfação e motivação custa bilhões (no mundo todo) em perda de produtividade.

Mas o que realmente causa essa apatia? Se você está tentando entender a insatisfação do seu próprio trabalho ou encarar e melhorar um problema de satisfação em sua empresa, essas 8 razões apresentadas abaixo são as mais comuns pelas quais as pessoas odeiam seus empregos ou as empresas.

1. Micro Gestão ou micro gerenciamento.

O micro gestor pode ter boas intenções tentando fazer um bom trabalho na empresa, mas eles deixam todo mundo louco por isso é uma das maiores causas da apatia. Limita a criatividade e a pro-atividade. Dependendo do líder, com a sua atitude rude e cobranças tiram a alegria e a motivação e ao mesmo tempo esse mesmo líder é malquisto e visto como autoritário, o que leva a si próprio à desmotivação. A soma de tudo isso causa insegurança, desconfiança, conflitos e cria se mecanismos  detalhados de controle que por sinal, leva a burocracia na política interna na empresa e a mais autoritarismo. Por esses motivos, as pessoas não abandonam os empregos, o que acontece na verdade é que eles deixam os gerentes.

2. Falta de progresso

Embora possa parecer que trabalhamos pelo o nosso salário, a pesquisa nos mostra que queremos sentir que o nosso trabalho é importante. O valor do salário é também um indicativo do sucesso que faz sentir que o trabalho é importante, mas não é só isso.

Quando uma empresa não consegue agir em conjunto, ou quando ela necessita de mudanças, mas não tem ou sequer nem é ouvido. Ou uma nova ideia que um trabalhador tem e tenta implementar tem que passar por infinitas pessoas ou por barreiras de burocracia, os funcionários perdem qualquer motivação ou paixão que possam ter tido inicialmente. As pessoas gostam de processos que levem ao caminho de se sentir eficazes, mas nunca para criar um ambiente de trabalho que a façam sentir ocupados o dia todo.

As organizações também devem estar atentas a regras desnecessárias que realmente não beneficiam a empresa. Quando eles começam a se sentir apenas controlados e não eficientes, os funcionários ficam apáticos e amarrados.

3. Insegurança no trabalho

Quando estamos em um navio afundando, começamos a nos preparar para abandonar o navio, seja ela para pular, procurar um colete salva vida, um bote. Os funcionários que trabalham em empresas instáveis ou em empregos considerados desmotivadores só investirão o suficiente para continuar recebendo seu depósito do salário enquanto eles olham para outro emprego. O resto de sua energia será gasto compartilhando rumores com colegas de trabalho, atualizando seus currículos e planejando seu próximo passo.

Para um líder, por exemplo, é extremamente difícil manter e fazer o seu melhor ou demonstrar o seu talento todo em um ambiente incerto. O melhor que você pode fazer é se comunicar com frequência e dar a sua equipe uma sensação de fidelidade e confiança. Você não pode fazer as pessoas ficarem, mas você pode incentivar a transparência de ambos os lados para que ninguém se surpreenda. Mostrar que há necessidade de mais união e esforços mútuos para ter ideias de como sair da crise.

4. Baixa confiança na liderança da empresa

Não temos que bajular os nossos líderes para que eles sintam felizes, mas também não podemos acreditar que são incompetentes. Uma vez que isso acontece, perdemos a convicção, o respeito, a dedicação e a noção de cumprimento do dever. Deixamos de seguir a empresa e o líder de todo o coração. Nós podemos até ficar subversivos e revoltados.

Chefes que inspiram confiança e que mostram fé em seus funcionários comunicam uma visão inspiradora e são recompensados com uma força de trabalho pronta para tudo que vier.

5. Desempenho medíocre.

Quando estamos trabalhando, gostamos de ser recompensados e reconhecidos por nossas contribuições. Quando isso não acontece, ou o pior, as pessoas que exercem um trabalho medíocre são recompensados e reconhecidos recebendo o mesmo tratamento dos que executam magnificamente bem e são dedicados, é natural desanimar-se e cair o rendimento entrando muitas vezes no trabalho em piloto automático. As empresas que não lidam com problemas de desempenho e reconhecimentos acabam por reduzirem os mais empenhados para a média.

6. Falta de Comunicação

Nunca atribua às intrigas e panelinhas o que a incompetência explica. Na ausência de informação, os rumores prosperam. Os colaboradores acabam adivinhando, confundidos e frustrados. Se não há uma mão dupla para se comunicar com os líderes para esclarecimentos, fica ainda pior. Ter que gastar muito tempo inutilmente procurando a informação necessária que precisamos para fazer nossos trabalhos é muito cansativo.

A comunicação clara em toda a organização torna muito mais eficaz, tendo um grande impacto na moral e confiança dos funcionários.

7. Colegas de trabalho

Nos meus 20 anos, eu tinha um emprego que não me pagava muito nem era um trabalho empolgante, mas adorava trabalhar todos os dias por causa dos meus colegas de trabalho. Nós éramos uma equipe bem unida que trabalhava juntos o dia todo, depois havia ainda um happy hour após o trabalho. É muito importante trabalhar com pessoas que gostamos. As amizades compensam muitos males, e o inverso também é verdadeiro.

Um dos resultados da pesquisa Gallup mostrou há alguns anos, “As amizades correspondidos de trabalho aumentam a satisfação dos empregados em 50% e as pessoas que tem como o seu melhor amigo tem sete vezes mais probabilidades de participar plenamente mergulhado em seus trabalhos”.

Você não precisa necessariamente ter o melhor amigo no trabalho, mas você precisa estar relaxado trabalhando junto de seus colegas e aproveitar ao máximo a sua empresa.

8. Inspiração Pessoal

Principalmente os trabalhadores da geração Y são conhecidos por buscar empregos que são empolgantes e inspiradores para eles, mas eles não estão sozinhos. Diversos artigos na internet abordam muito sobre os trabalhadores da geração X e geração Y. A maioria acredita que encontrar um emprego que cumpre as satisfações pessoais vale sacrifícios no salário. Uma pesquisa recente do LinkedIn também mostra essa crescente desejo de realização pessoal entre várias faixas etárias e geografias. A pesquisa também descobriu que aqueles com mais de 60 anos estavam mais entusiasmados com seu trabalho quando estavam em um ambiente inspirador não importando muito o ponto onde estava em suas carreiras.

 

É fato que os resultados e objetivos almejados pelas empresas só são plenamente alcançados a partir do momento que estas podem contar com o apoio integral de seus colaboradores. Empresas são resultados de pessoas e são elas as responsáveis por fazer a diferença, ajudando os mais diversos tipos de organizações a atingirem o sucesso que tanto precisam para se destacarem no mercado.

Abaixo algumas sugestões pois depende muito de cada organização, tamanho e o ramo de atuação.

  • Planejamento e estabelecimento de metas e objetivos claros, com divulgação de resultados para compreensão de todos da empresa.
  • Medidores de performance compreensíveis e que possam ser acompanhado por todos.
  • Implantação de canais de comunicação em todos os níveis e departamentos da empresa.
  • Incentivo às atitudes proativas e reconhecimento de tais atitudes.
  • Viabilização de perspectivas internas.
  • Desenvolvimento pessoal, sempre apresentando e deixando claro para o colaborador o que se espera dele pós-investimento em treinamentos, palestras ou qualquer outra atividade que ele participe, o envolvendo a cada dia em seu aperfeiçoamento pessoal e profissional.
  • Criação de grupos heterogêneos visando maior participação de todos.
  • Transparência em relação às pessoas.

Deixe uma resposta