Autoestima

Uma boa autoestima é essencial não apenas para si mesmo, mas também para quem convive próximo a você, seja sua família, colegas de trabalho, amigos pessoais, etc. A autoestima nasce da imagem positiva que temos de nós mesmos. É algo que precisa ser construído durante todos os dias da nossa vida, e que ao mesmo tempo precisa ser sólido o suficiente para não se influenciar negativamente dos acontecimentos exteriores, ou seja: ela depende exclusivamente do nosso interior.

Avalie sua autoestima – Quanto você acha que vale?

Este questionário é dividido em A e B. Dê uma nota a cada pergunta:

Número 1 significa eu concordo.

Número 2 significa concordo plenamente.

Se discordar totalmente, marque 0.

Seção A

 

Você acredita que é uma pessoa fabulosa, dotada de qualidades singulares?_________

Você se ama se aprecia e se preocupa consigo mesmo? ?_________

Sente prazer em passar um bom tempo em sua própria companhia? ?_________

Fala a respeito de si mesmo com outras pessoas de forma respeitosa e apreciativa? ?_________

Valoriza tudo o que já realizou, sem se preocupar com as atividades em que não é tão bem-sucedido – afinal, ninguém sabe fazer tudo? ?_________

Valoriza a forma como foi capaz de superar tantas dificuldades? ?_________

Quando alguém o critica, você ouve com atenção, pensa a respeito da crítica, incorpora tudo o que lhe parecer útil e ignora o restante? ?_________

Consegue se manter calmo, despreocupado e firme quando outros à sua volta agem de forma exigente, crítica ou difícil? ?_________

Sabe tomar conta de si mesmo? ?_________

Quando alguém lhe faz um elogio, sabe aceitá-lo com simplicidade? ?_________

 

Somatória da Sessão A: ____________pontos.

 

Seção B

 

Dê as notas da mesma forma nesta seção e some separadamente os pontos .

Acha que deve se comportar de uma maneira específica diante de outras pessoas, para que elas gostem de você?_______

Precisa ser mais generoso com seus amigos do que eles são com você, para que continuem sendo seus amigos?_______

Acha que deve fazer coisas que não quer só para manter um relacionamento? _______

Veste-se de modo a não despertar muita atenção ou não parecer diferente? Ou, por outro lado, gasta muito tempo e energia com sua aparência porque pensa que não seria aceito sem a maquiagem, as roupas, o carro, etc.? _______

Acha mesmo muito difícil dizer não? _______

Se alguém o critica, sua reação é defender-se ou levar para o lado pessoal, sentindo-se ofendido e magoado? _______

Pergunte a você mesmo bem lá no fundo, você se sente improdutivo e inútil, e acha que, se as pessoas o conhecessem de verdade, ninguém gostaria de você? _______

Detesta ficar sozinho consigo mesmo? _______

Participa com frequência de atividades que sabe que são autodestrutivas ou nocivas à sua saúde e ao seu bem-estar? _______

Ao falar de si, você o faz de maneira negativa, queixosa ou autodepreciativa, a tal ponto que as pessoas nem percebem suas boas qualidades e podem chegar a ter má impressão de você? _______

 

Somatória da Sessão B: ____________pontos.

 

Resultados da Seção A

 

15-20 – Você tem uma notável autoestima e funciona muito bem nesse quesito. Ou você teve uma excelente criação ou se esforçou muito para chegar a esse ponto. Muito bem! É importante lembrar que poucas pessoas têm esse alto nível de autoestima, e talvez lhe seja difícil entender as necessidades e atitudes de pessoas que simplesmente não acreditam em si próprias da mesma forma que você.

10-15 – Você tem uma ótima autoestima. Acredita de verdade em si mesmo, tem autoconfiança e gosta de ser a pessoa que é. Talvez seja um pouco inseguro, mas isso é humano, e você quase sempre sabe como lidar com esse sentimento. Sabe também que precisa trabalhar um pouco sua autoestima, que esta não surge por acaso, mas está disposto a fazer esse esforço para o seu próprio bem. Você não é do tipo que aceita por muito tempo situações que tenham um impacto negativo em seu amor-próprio.

5-10 – Você se esforçou para ter uma boa autoestima e está bem ciente do que é preciso para desenvolver segurança e autoconfiança duradouras. Talvez alguma experiência difícil em sua vida o tenha afetado de modo adverso e provavelmente, para seguir em frente, você precisa se esforçar um pouco para reforçar sua confiança. Você tem algumas boas atitudes básicas a seu próprio respeito e poderá reforçá-las se prestar mais atenção ao processo de se autovalorizar.

1-5 – Embora tenha algumas atitudes básicas sadias a seu próprio respeito, sua autoestima é muito baixa. Certamente existe uma razão para isso, e você deve conhecê-la muito bem. Continuar nesse estado de baixa autoestima prejudica sua saúde mental e seu bem-estar, e pode se tornar parte de um círculo vicioso que se autoperpetua: você se sente pouco confiante, então se retrai, se torna passivo ou esquivo e perde as ocasiões em que poderia a prender a ser mais confiante. O segredo está em praticar comportamentos associados à autoestima positiva; se fizer isso sempre, eles se tornarão mais naturais e deixarão de ser exercícios.

 

Resultados da Seção B

 

10-20 – Você está batalhando contra a baixa autoestima e, às vezes, pode achar que a vida é mesmo muito difícil. Talvez não tenha desenvolvido um forte sentido de identidade própria e, em algumas épocas, deve ter sido facilmente controlado ou influenciado por outras pessoas. É sensível à crítica ou a julgamentos negativos. Nem sempre é confiante o bastante para correr os riscos inerentes à busca de uma situação melhor e, provavelmente, teme ficar sozinho. É uma luta tentar se livrar do hábito de pensar e agir negativamente contra você mesmo.

Há uma coisa que você pode fazer que lhe será de ajuda imediata: identificar uma área na qual tem certeza de que se sente confiante. Passe em revista as habilidades, talento ou experiência que adquiriu em certas áreas – por exemplo, você sabe que cozinha bem. Pense em como adquiriu a técnica necessária. Tente transferir essa habilidade para outra área na qual se sente menos confiante, mas na qual deseja se sair bem. Por exemplo, se você é bom cozinheiro, sabe aprender e armazenar novas informações, tem talento para organização, tem o dom da criatividade, gosta de tratar bem os outros e sabe valorizar e apreciar o que é bom. Esses dons podem ser transferidos para alguma área que ainda não experimentou. Por exemplo, artesanato, um esporte coletivo ou começar um novo projeto no seu trabalho. Adquirir novos talentos reforça a autoestima e, automaticamente, vai fazer com que você se torne mais confiante. Uma dica valiosa é começar a acreditar que vale a pena o esforço – mesmo que nem sempre saiba por que está fazendo isso e até mesmo sem ter vontade de fazê-lo.

Cinco exercícios para promover a autoestima e mais 2 facultativos (ou necessários).

Se passar algum tempo fazendo estes exercícios – embora inicialmente eles possam parecer um pouco tediosos focalizará sua mente em algo que ela quer muito que você faça. Com certeza será bem-sucedido. Se alguns dos exercícios o fizerem lembrar-se de ocasiões em que se sentiu mal, não se preocupe com isso e acredite que este processo natural de cura vai dar certo.

1 Pense nas atitudes e comportamentos representados peias perguntas da Seção A do questionário sobre autoestima. Se alguma delas lhe pareceu difícil ou estranha, comece a praticá-la. Se já tem o costume de fazê-lo, faça-o mais um pouco. Por exemplo, tente aceitar os elogios com simplicidade e nunca finja que não se importa com elogios.

2 Procure a companhia de pessoas descontraídas e autoconfiantes. Aprenda alguma coisa com elas e tente copiar algumas de suas atitudes. Ao mesmo tempo, trate de passar um tempo proveitoso na sua própria companhia.

3 Isto é urgente: evite a companhia de pessoas que o fazem sentir-se mal consigo mesmo, ou que se sentem bem agredindo-o de alguma forma. Nunca permita tal coisa. Se isso costuma lhe acontecer, seja enérgico e faça alguma coisa a respeito. Pratique primeiro os outros exercícios, até sentir-se melhor. Não espere que aquele tipo de pessoa que gosta de vê-lo “para baixo” venha em sua ajuda.

4 Procure sempre desenvolver novas habilidades e realizar coisas novas, de modo a sentir-se orgulhoso de si mesmo. Receba e aceite elogios, reconhecimento e honrarias.

5 Valorize, comemore e expresse explicitamente não só o que há de especial em você, quais os pontos em que é único e diferente dos demais, assim como tudo o que tem em comum com os outros.

É correndo riscos e agindo que se adquire confiança. E como ganhar confiança? Você é do tipo altamente cauteloso, que teme correr riscos, ou sente prazer com a novidade e o entusiasmo inerentes a certa dose de risco e aventura? Arriscando-se pouco, será menos capaz de se arriscar no futuro.

Lembre-se das coisas boas que já lhe aconteceram. Pode ser qualquer coisa – uma viagem especial, uma amizade duradoura, mudar para um novo emprego ou casa nova, ter um filho, uma realização importante, a conclusão de um projeto relevante. Perceba como sua participação pessoal contribuiu para que essas coisas acontecessem.

 

Abaixo 2 exercícios facultativos. Ou necessários se o ADVISOR achar importante fazer após uma Avaliação na próxima sessão.

  1. A) Faça um lista de suas boas qualidades e talentos individuais e dignos de admiração. Na lista podem ser incluídas coisas boas que outros disseram a seu respeito. Então comporte-se como se realmente acreditasse que todas elas são verdadeiras. Será que essa pessoa agiria de modo diferente para com você se soubesse que essas coisas são verdadeiras?
  2. B) Faça um álbum ou um caderninho de autoestima. Colecione aí todos os reforços positivos que receber, de qualquer fonte: por exemplo: mensagens positivas, referências, testemunhos ou avaliações positivas em trabalhos feitos durante algum curso. Não deixe de anotar as coisas positivas que as pessoas lhe digam e guarde as no seu álbum, para que lhe sirvam de estímulo. Colecione elogios. Escolha e monte cuidadosamente seu álbum de modo que fique bonito e atraente, que lhe seja prazeroso olhar e o estimule a aumentá-lo. Ele será um recurso valioso sempre que se sentir deprimido ou precisar de encorajamento.