Estresse

O estresse é como o cérebro e o corpo respondem a qualquer exigência. Todo tipo de exigência ou estressor – como exercício, trabalho, escola, mudanças importantes na vida ou eventos traumáticos – pode ser estressante.

O estresse pode afetar sua saúde. É importante prestar atenção a como você lida com eventos de estresse menores e maiores para que você saiba quando procurar ajuda.

Todo mundo se sente estressado de vez em quando. Algumas pessoas podem lidar com o estresse de forma mais eficaz ou se recuperar de eventos estressantes mais rapidamente do que outros. Existem diferentes tipos de estresse – todos os quais trazem riscos para a saúde física e mental. Um estressor pode ser uma ocorrência única ou de curto prazo, ou pode ser uma ocorrência que continua ocorrendo durante um longo período de tempo.

Nem todo estresse é ruim, o estresse pode motivar as pessoas a se preparar ou a realizar, como quando precisam fazer uma prova ou entrevista para um novo emprego. O estresse pode até salvar vidas em algumas situações. Em resposta ao perigo, seu corpo se prepara para enfrentar uma ameaça ou fugir para a segurança. Nessas situações, seu pulso se acelera, você respira mais rápido, seus músculos ficam tensos, seu cérebro usa mais oxigênio e aumenta a atividade – todas as funções visando a sobrevivência.

Problemas de saúde podem ocorrer se a resposta ao estresse persistir por muito tempo ou se tornar crônica, como quando a fonte de estresse é constante ou se a resposta continua após o perigo ter diminuído. Com estresse crônico, essas mesmas respostas que salvam vidas em seu corpo podem suprimir sistemas imunológicos, digestivos, de sono e reprodutivos, o que pode fazer com que eles parem de funcionar normalmente.

Pessoas diferentes podem sentir estresse de maneiras diferentes. Por exemplo, algumas pessoas experimentam principalmente sintomas digestivos, enquanto outros podem ter dores de cabeça, insônia, tristeza, raiva ou irritabilidade. As pessoas sob estresse crônico são propensas a infecções virais mais freqüentes e graves, como a gripe ou o resfriado comum.

O estresse de rotina pode ser o tipo de estresse mais difícil de notar no início. Como a fonte de estresse tende a ser mais constante do que em casos de estresse agudo ou traumático, o corpo não possui sinal claro para retornar ao funcionamento normal. Ao longo do tempo, a tensão contínua em seu corpo contra o estresse rotineiro pode contribuir para problemas de saúde graves, como doenças cardíacas, hipertensão arterial, diabetes e outras doenças, bem como distúrbios mentais, como depressão ou ansiedade.

Nos últimos 5 anos, por quantas situações abaixo você passou?

  • Morte de uma pessoa querida
  • Ser vítima de um crime
  • Acidente ou trauma
  • Divórcio
  • Separação
  • Mudar de casa
  • Mudança para outra localidade por ser considerado desnecessário
  • Problemas sérios de saúde – seus ou de alguém muito próximo
  • Preocupação com algum membro da família – adolescentes, por exemplo
  • Disputas judiciais
  • Problemas com parentes
  • Desentendimento sério com pessoa da família
  • Ser assediado ou maltratado
  • Preocupações sérias com as finanças ou mudanças significativas de situação financeira
  • Preocupações sérias com o lar
  • Problemas de relacionamento
  • Problemas com álcool ou drogas – seus ou de alguém muito próximo
  • Perda de independência
  • Perda da mobilidade
  • Perda de coisas que você considerava garantidas
  • Uma grande conquista pessoal (sim, isso também pode ser causa de muito estresse)
  • Excesso de afazeres, mais do que você pode enfrentar fisicamente
  • Falta do que fazer, não ter um propósito, sentir-se entediado
  • Problemas no trabalho
  • Sentir-se solitário ou isolado
  • Falta de tempo para relaxar ou se exercitar
  • Filhos que deixam a casa paterna
  • Apaixonar-se
  • Um novo-membro na família
  • Problemas causados por desastres naturais ou meteorológicos
  • Dificuldade constante de dormir o suficiente

 

Número de agentes causadores de estresse que você enfrentou:_________

 

O que conta não é o problema em si mesmo, mas o que nós dizemos a nós mesmos a respeito do problema.

Entretanto, se enfrentou cinco ou mais desses fatores geradores de estresse no espaço dos últimos cinco anos, você corre o risco de passar por vários problemas relacionados ao estresse, incluindo aí baixa autoestima, depressão, rompimento de um relacionamento ou doenças relacionadas ao estresse. Pessoas que tentam enfrentar tudo sozinhas sem buscar ajuda podem acabar perdendo o rumo, sentir-se incapazes para o trabalho ou beber em excesso. Você é vulnerável e precisa de apoio e de muito tempo para relaxar e se recuperar – tempo só para você, sem se sentir culpado por isso.

Você já passou por estas situações de estresse?

  • Conflito com os pais
  • Separação dos pais ou dissolução da família
  • Períodos em que ficou longe dos pais forçado pelas circunstâncias
  • Ausência persistente ou negligência por parte dos pais
  • Violência ou maus-tratos
  • Situações de luto, principalmente morte de um dos pais
  • Um evento traumático
  • Longos períodos de doença ou hospitalização
  • Problemas na escola ou na faculdade
  • Ter filhos sem estar preparado para isso
  • Ser discriminado de alguma forma pelos colegas (por exemplo, por motivo de raça, opção sexual, capacidade ou incapacidade de aprendizado)
  • Levar vida isolada ou solitária durante a infância ou a adolescência
  • Ter que cuidar de um parente durante a infância ou a adolescência
  • Ser obrigado a assumir responsabilidade excessiva pelos irmãos menores ou ter um irmão que precisava de atenção especial
  • Ter que mudar de residência em uma hora ruim ou passar por mudanças freqüentes de escola ou residência
  • Ter que deixar a casa paterna sem estar pronto para isso ou, pelo contrário, ter que continuar morando com os pais mesmo sentindo-se pronto para morar sozinho

Contagem de pontos

Quantos desses fatores causadores de estresse você enfrentou? ________

(as respostas abaixo são progressivas)

Se você enfrentou mais de um desses fatores, como isso o afeta ainda hoje? Se você foi um adolescente solitário, essa experiência por acaso lhe deu uma percepção maior da importância que têm para seus filhos, as amizades e a participação em grupos? Você deve ter aprendido muita coisa que pode ser útil a você e a outras pessoas.

Se você enfrentou dois ou três desses fatores, é provável que já os tenha superado em grande parte, mas eles ainda o afetem. Por exemplo, se um dos seus pais foi negligente e não havia ninguém mais para protegê-lo, isso vai afetá-lo sempre, até certo ponto. Tem noção de quanto isso o afeta ainda hoje? Já conversou sobre isso com pessoas que o amam e o compreendem atualmente? Você pode dizer muitas coisas para ajudar na compreensão do problema. Se não refletiu muito sobre esses problemas, usando a compreensão que se atinge com a idade, já está na hora de dedicar algum tempo a pensar em como lidar com isso de uma forma mais de acordo com sua vida atual.

Se passou por mais de três desses fatores causadores de estresse, você foi premiado com uma grande quantidade de experiências causadoras de estresse. Talvez você tenha as tenha enfrentado e digerido bem, ou pode tê-las esquecido. Mas por toda a sua vida, sempre que determinadas situações ocorrerem, tudo o que sentiu quando era jovem pode ser estimulado novamente, o que pode fazê-lo comportar- se de forma complexa, nem sempre compreensível para os outros.

 

Que mensagens ocultas você interiorizou sobre o modo de agir diante do estresse? Será que algumas destas lhe soam familiar, ou você tem sua própria versão delas?

Veja abaixo:

  • Estilo estressado independente
  • Tenho que resolver isso sozinho
  • Ser forte é não mostrar sentimentos
  • Minha função é fazer com que todos se sintam bem
  • Nas horas críticas não posso confiar nas pessoas
  • As pessoas não estão aí para me ajudar
  • Deixem-me sozinho
  • Eu mesmo posso fazer isso melhor
  • Não quero falar nisso, pode deixar que eu resolvo
  • Estilo estressado dependente
  • Não sei fazer nada sozinho
  • Entrar em pânico – e atrair a atenção de alguém
  • Eu não aguento
  • Perdi o controle dos meus sentimentos
  • Agir como se fosse indefeso, para que alguém venha em seu socorro
  • Não me abandone
  • Tenho que controlar e manipular as pessoas, ou elas não me darão o que quero

 

Quando você age de acordo com essas afirmações, sem o saber está reagindo ao que foi gravado em sua mente em tempos passados e será incapaz de pensar com clareza.

E possível substituir essas antigas formas de pensar por outras mais realistas e úteis, tais como:

  • Posso enfrentar isso se me derem a ajuda e o apoio de que necessito
  • Posso confiar em que outras pessoas me ajudarão na hora em que eu precisar
  • Não é errado pedir ajuda
  • Não estou sozinho
  • Posso ter certeza de que há gente disposta a me ajudar
  • ou escreva as suas próprias.

Saber dizer “não” significa que você também pode dizer “sim” com sinceridade. Pensar mais a respeito do “não ” leva também a pensar sobre o “sim”.

Portanto, o que sua capacidade de dizer “não ” e o modo como você o faz lhe dizem a respeito de você mesmo?

Questionário

1 Você havia planejado passar a noite resolvendo assuntos domésticos – há muita coisa que você vem adiando e, finalmente, conseguiu arranjar tempo para isso. Uma amiga querida telefona e diz que precisa que você vá à casa dela essa noite, porque está passando por uma crise em seu relacionamento e quer conversar com alguém imediatamente. 0 que você faz?

  • a) Sai correndo na mesma hora.
  • b) Fica preocupada por algum tempo, mas chega à conclusão de que o problema dela é mais urgente do que o seu, e acaba indo para lá, com um certo atraso.
  • c) Diz a ela que irá, mas antes precisa de umas duas horas para resolver algumas coisas, e pede a ela que faça um jantar para as duas.
  • d) Diz que hoje está muito ocupada, mas pode se encontrar com ela em outro dia.

2 A vendedora de uma companhia de telemarketing telefona à noite para sua casa querendo vender-lhe um produto que você não quer. A moça é atenciosa e você não quer magoá-la. O que você faz?

  • a) Conversa com ela durante uns vinte minutos.
  • b) Conversa por alguns minutos e, a seguir, diz que sente muito, você precisa desligar porque o cachorro está vomitando.
  • c) Depois de alguns momentos você diz que não pode conversar agora e que, não, não quer que ela torne a ligar.
  • d) Responde rispidamente e desliga.

 

3 Você está com muita pressa no seu horário de almoço porque precisa fazer várias coisas, como despachar uma encomenda pelo correio. Uma amiga a convida para almoçar com ela porque tem ótimas novidades para contar. O que você faz?

  • a) Vai ao almoço, na esperança de que, de algum jeito, vai dar tempo para tudo.
  • b) Vai ao almoço mas fica estressada, olhando o tempo todo para o relógio.
  • c) Concorda em se encontrar com ela, mas avisa que só pode fica r meia hora.
  • d) Diz que está muito ocupada hoje, mas pode marcar para outro dia.

 

4 Sua irmã ou sua melhor amiga tem um encontro com o novo namorado e lhe pede em cima da hora para tomar conta do filho dela. O que você faz?

  • a) Concorda imediatamente, como sempre.
  • b) Sente-se usada, mas acaba concordando.
  • c) Diz que está bem por esta noite, mas que não vai estar sempre disponível.
  • d) Diz que você também é uma pessoa ocupada e que esta noite não é possível.

 

5 Um colega do escritório insiste há muito tempo que vocês precisam almoçar juntos um dia desses para conversar sobre o que os dois têm em comum. Um dia, os dois estão sozinhos no escritório, e ele volta a insistir para que marquem um dia nesta mesma semana. O que você faz?

  • a) Concorda sem pensar.
  • b) Fica em dúvida, mas concorda, para não magoar o colega.
  • c) Vai ao almoço, mas mantém a conversa apenas em assuntos do escritório.
  • d) Deixa claro que deseja manter uma distância profissional e não aceitará sair sozinho com ele.

 

6 Você chega ao restaurante onde reservou uma mesa para um encontro. Você tem apenas uma hora disponível. Ao chegar lá, o garçom diz que houve um excesso de reservas e vai haver uma pequena demora. O restaurante está lotado. O que você faz?

  • a) Prefere aguardar, na esperança de que sua mesa não demore.
  • b) Pergunta de quanto tempo vai ser a espera e explica que tem um horário a cumprir.
  • c) Diz que não pode esperar e sai.
  • d) Reclama e vai embora.

 

7 Você se inscreveu para uma aula noturna na qual está muito interessada. Então fica sabendo que seu companheiro pretende usar o carro exatamente nessa noite e acha que precisa dele mais do que você. O que você faz?

  • a) Desiste da aula, mesmo que se sinta desapontada.
  • b) Explica que tem uma aula, e chegam a um acordo: ele irá buscá-la depois da aula.
  • c) Diz que é sua vez de usar o carro e que, definitivamente, não vai abrir mão hoje.
  • d) Nem se dá ao trabalho de discutir, pois já havia avisado da aula.

 

8 Você está tratando de um negócio que implica vender com desconto cem exemplares do seu produto mais caro. Mesmo assim, o preço é conveniente porque esse produto tem tido pouca saída. Mas, no último minuto, seu cliente telefona dizendo que está atravessando uma crise financeira e só pode pagar 60% do preço combinado. O que você faz?

  • a) Concorda em vender pelo preço oferecido pelo cliente.
  • b) Negocia com ele o valor – por exemplo, dividir a diferença.
  • c) Oferece negociar o valor do frete, e isso é tudo o que pode oferecer.
  • d) Diz que o negócio será desfeito a não ser que ele pague o preço combinado.

 

9 Você está planejando uma viagem de férias com um grupo de amigos. Quando começam a discutir qual seria a melhor data, fica claro que todos preferem ir alguns dias antes do que você gostaria. O que você faz?

  • a) Verifica a data em que os outros estão livres e se acomoda, mesmo que isso signifique perder duas entrevistas de negócios muito importantes.
  • b) Reclama por ter que perder as entrevistas, mas acaba concordando em ir junto com o grupo.
  • c) Pede aos amigos que o ajudem a resolver o problema e chegam a um acordo que lhe agrada, para que você não tenha que perder as entrevista.
  • d) Diz que não vai viajar se para isso tiver que faltar às entrevistas.

 

Contagem de pontos

Contagem de “Nãos”: A ______  B_____  C _____  D _____

 

Se a maioria foi A

Será que existe alguma coisa que você não compreende a respeito de dizer não? Você é diplomático, sim, mas sempre à própria custa. Os outros podem explorá-lo, e com certeza eles o fazem. Muitas vezes fica difícil respeitar alguém que não defende seus próprios interesses, e você transmite a ideia de que não passa de um capacho.

Por que você tem medo de dizer não? Pense em duas situações em que detesta ter que dizer não e peça a um amigo para pensarem juntos sobre os diversos modos que você poderia usar para dizer um não firme e definitivo. Escolha quais deles o deixariam menos desconfortável e experimente-os. Perceba como se sente quando faz isso e também o efeito que causa. Assuma de novo a direção.

Se a maioria foi B

Você é um bom diplomata e detesta magoar as pessoas. Às vezes diz sim quando preferiria dizer não, e isso pode dar uma impressão dúbia. Você tende a dar preferência às necessidades alheias e deixar para pensar nas suas em outra ocasião. Sente-se exausto ou explorado e nunca tem tempo para si mesmo? Sente-se ressentido porque os outros parecem esquecer que você também tem necessidades? Precisa de que gostem de você? Isso faz com que procure sempre agradar aos outros? Costuma oferecer ajuda ou fazer promessas que depois não pode cumprir? Já pensou em dar às suas necessidades pelo menos a mesma importância que dá às necessidades alheias? Reserve algum tempo toda semana só para você e deixe bem claro que também tem assuntos seus, importantes, a resolver. O seu problema deve estar em como equilibrar exigências conflitantes, e você precisa rever quais são suas reais prioridades.

Se a maioria foi C

Você sabe dizer não com muito tato, mas de maneira firme, e sabe como equilibrar suas necessidades e as das outras pessoas. Você não tem medo de dizer não de maneira firme quando precisa. Sabe determinar quais são suas prioridades e se manter fiel a elas sem ser inflexível. Dizer não, não lhe causa estresse porque você já decidiu quais são suas prioridades e tem uma atitude realista a respeito de quantas coisas pode fazer ao mesmo tempo. Ocasionalmente você cede à pressão, mas decide que não voltará a fazê-lo, porém, na maioria das vezes, sabe dizer não de forma clara e firme sem se sentir desnecessariamente culpado ou confuso por isso.

Se a maioria foi D

Você vive segundo suas próprias regras. Não sente dificuldade em dizer não e em estabelecer limites entre o que considera aceitável e inaceitável. Deve tê-lo aprendido há longo tempo, e isso é uma parte essencial do seu estilo, que o ajuda a se manter focado e fazer as coisas a seu modo. Por outro lado, existe algo nesse estilo que sugere que você às vezes é rígido sobre a questão do não porque quer estar sempre no controle. Seus amigos talvez lhe tenham dado um apelido do gênero Motosserra. Que tal se de vez em quando você concordasse com outra pessoa sobre o modo de fazer as coisas?